31 agosto 2005

PNR :: Manifestação :: 17 de Setembro

"O PNR convoca todos os Nacionalistas e demais portugueses, seja qual for a sua orientação partidária, a juntarem-se a nós no dia 17 de Setembro, para protestar contra o crescente avanço da decadência e destruição dos valores tradicionais.
Em defesa da família e do bem-estar das crianças, dizemos NÃO! Às pretensões dos homossexuais e dizemos NÃO! Aos pedófilos.
BASTA! Portugal aos Portugueses e às suas normais tradições!"

Mais informações em:
www.pnr.pt
Militantes do PNR, Juventude Nacionalista e activistas da Frente Nacional, da Região Norte de Portugal, vão marcar presença nesta manif. Se estas interessado contacta: 967579605 ou o mail minho@frente-nacional.org

29 agosto 2005

Homossexualidade :: Perspectivas

Infelizmente, vários grupos de activistas liberais em Portugal, estão a tentar corromper a lei para mudar as definições de Família e assim incluir os casamentos homossexuais, poligâmicos e outras disposições, o que são claramente antinaturais.

É de forma persistente que os activistas homossexuais utilizam para sua defesa o “Mito Urbano” de que nasceram homossexuais ou de que a sua orientação sexual surge cedo na adolescência, que se fixa e que é impossível alterar. Ou seja, é genético! Mas melhor, é quando defendem serem pessoas perfeitamente normais uma vez “que nasceram no seio de famílias heterossexuais saudáveis”.


E é precisamente sobre este “Mito Urbano” que eu me proponho escrever. Para desmontar o lóbi gay e mostrar à sociedade as mentiras que por ai se dizem.

Vou ter como base de refutação os textos apresentados por Rita P. Silva no site http://homofobia.com.sapo.pt/. E porquê este site e não outro? É fácil de responder! Em todos os outros sites que abordam este tema, a tendência é cair no ridículo, acontecimento comum entre essa gente, pois para além de mostrarem fotos de mulheres e homens nus ou seminus e de homens vestidos de “palhaços”, perde toda a credibilidade de quem diz defender algo de sério.
Este site pretende transmitir credibilidade através de textos bonitos, mas na realidade indica parte da verdade, ou seja, são textos relatados da maneira mais conveniente para quem os escreve.

Senhor(a) Rita P. Silva vamos então ver o que tem estado a ocultar aos seus leitores.

Vamos começar pelo tópico “o que é a homossexualidade?”

“…a partir de 1970 começou a surgir uma perspectiva positiva, generalizada, em relação à homossexualidade. A APA (American Phychological Association) retirou a homossexualidade do seu “Manual de Diagnóstico e Estatística de Distúrbios Mentais” (DSM) em 1973, depois de rever os estudos e provas que revelavam que a homossexualidade não se enquadra nos critérios utilizados na categorização de doenças mentais.” In http://homofobia.com.sapo.pt/homossexualidade.html

Aqui só é dita meia Verdade. Pois existe uma ocorrência que a senhor(a) está omitir aos seus leitores.

O Dr. Robert Spitzer, foi um dos principais responsáveis, por de trás da decisão (1973) da American Psychiatric Association´s de remover a Homossexualidade como uma doença mental dos manuais da APA - American Phychological Association.

Mas também, é o próprio Dr. Spitzer que diz actualmente estar convencido que homens ou mulheres que tem orientações homossexuais podem corrigir suas preferências sexuais através da terapia. As suas recentes descobertas estão publicadas num livro intitulado Archives of Sexual Behavior (Vol. 32, nº 5, Outubro de 2003, pp. 403-417).

Ou seja vinte anos de experiência mudaram a sua percepção das causas que defendia.

“…as investigações mais recentes…”. O que é isto? Quer dar credibilidade aos “seus” textos, utilizando termos como "investigação", olhe que as palavras não são tudo, também as temos que sustentar!? Eu vou-lhe falar de algumas investigações.

The Innate - Immutable Argument Finds no Basis in Science: In Their Own Words: Gay Activists Speak About Science, Morality, Philosophy” escrito por A. Dean Byrd, Shirley E. Cox e Jeffrey W. Robinson. narth
Já ouviu falar? Os autores deste estudo citam cuidadosamente um número variado de investigações sobre o tema da homossexualidade sobre as quais trabalharam durante os últimos anos em busca dos genes ou de outras bases genéticas responsáveis pela homossexualidade. O que acontece é que eles falharam e agora admitem que tais provas poderão nunca serem encontradas.

Drª Dean Hamer, outra investigadora, por exemplo tentou ligar a homossexualidade masculina a um fragmento de DNA localizado na extremidade do cromossoma X. E escreveu: “a Homossexualidade não é puramente genética…factores externos tem a sua responsabilidade. Não existe um único gene responsável pela homossexualidade…não acredito que se seja possível prever se alguém vai ser gay…”

Um outro estudo de interesse é o famoso “twins study” realizado por Dr. Bailey e Dr. Pillard e que é muitas vezes citado por activistas homossexuais para promover a ideia de que a homossexualidade é genética. O supracitado estudo revela que por entre as crianças estudadas existe uma percentagem de 52% em que ambos os gémeos idênticos que são homossexuais; 22% por entre os gémeos não idênticos e de 9,2% por entre os irmãos não gémeos.

Esta tese foi muitas vezes utilizada por activistas homossexuais para provar que a homossexualidade era genética. E mais uma vez para dizer que não se tratava de uma doença. Mas Dr. A. Dean Burd (no site da NARTH – National Association for Research and Therapy of Homosexuality) faz uma nota interessante: “este estudo actualmente serve para suportar a ideia que os factores externos são relevantes. Se a homossexualidade realmente estivesse no código genético, em todos os gémeos idênticos, no caso de um se tornar homossexual, o outro também deveria ser.”

Dr. Robert Hicks, autor do livro “the Masculine Journeyescreveu: “…durante estes vinte anos de aconselhamento a homens gay´s, ainda não conheci um que tivesse uma infância normal no que diz respeito à sua sexualidade. É comum encontrar histórias de abusos, de álcool, ou a falta (física e emocional) dos pais; histórias de incesto ou de sexo forçado por irmãos, vizinhos, homens ou mesmo amigos. Sinto que por vezes estes homens são expostos desde muito cedo a pornografia

E os apontamentos poderiam continuar com Dr. Simon Levay e Dr. George Rekers, mas penso que já é mais que suficiente para mostrar e refutar as ideias erróneas que a Senhor(a) Rita P. Silva (mas não só) está a tentar passar aos seus leitores.

conclusão:

Os três principais e mais recentes estudos sobre a homossexualidade que tinham por objectivo provar que a homossexualidade não era uma doença mas algo de genético, nada provaram. Aliás dois dos autores chegaram a admitir que as suas pesquisas não puderam provar que existem bases genéticas na homossexualidade.

Ou seja os estudos mais credíveis sobre a homossexualidade mostram que ninguém nasce “gay”, e que a homossexualidade é uma doença relacionada com problemas de desenvolvimento, que surgem em regra durante a adolescência e sobre o efeito de disfunções familiares ou abusos sexuais.

Infelizmente os activistas homossexuais utilizam esta mesma “lenda” como “cavalo de tróia”, para assim, entrarem todos os dias, de forma subtil na mente das pessoas.

Mais recentemente também os travestis reclamam terem nascido travestis e pedem leis que os protejam da “suposta sociedade intolerante”. Nem me vou prenunciar!

Desta forma pode-se dizer que a informação positiva sobre a homossexualidade, desencadeia que mais pessoas se tornarem homossexuais! Os “Filhos” de homossexuais podem, sim, tornarem-se homossexuais!

Infelizmente, não posso gastar muito mais tempo com este tema, mas acredito que estas linhas são suficientemente claras, para que qualquer pessoa consiga tirar as suas próprias conclusões. E se restarem algumas dúvidas sobre o que escrevi, consultem as referências bibliográficas, de forma a confirmarem tais afirmações.

Um bom exemplo na prevenção dos incêndios


Ano após ano, temos vindo a assistir a um autêntico holocausto da nossa floresta. Num país que tem poucos recursos naturais, o aproveitamento e defesa da nossa floresta deveria ser encarada pelo Estado, como uma prioridade absoluta.
O problema das florestas é o mesmo da educação. São precisos muitos anos para que as medidas tomadas se façam sentir. E o nosso sistema governativo não se pode dar ao luxo de tomar medidas que demorem 15 ou 20 anos a surtir efeito, preferindo enveredar por falsas soluções, remendando uma coisa aqui, e maquiando outra acolá. Deste modo, o verdadeiro objectivo do sistema, é a auto-continuidade quando deveria ser, defender os interesses dos cidadãos.
Em relação aos fogos florestais, não penso haver uma solução mágica, no entanto não deixa de me intrigar, o facto de no passado, apesar de não haver tantos meios de combate e vigilância, os incêndios florestais, quando comparados com o que se passa hoje, eram virtualmente inexistentes.
Do Parque Nacional da Peneda-Gerês, vem um excelente exemplo, onde um governo que fosse honesto e que visasse verdadeiramente o bem-estar do país, poderia inspirar-se e tomar as tais medidas que falei: Colocar recursos humanos no terreno, prevenir e vigiar. O executivo que decidisse implantar isto a nível nacional, estaria por um lado, a defender a nossa floresta, e por outro a diminuir o desemprego.

Numa altura em que os incêndios consomem floresta um pouco por todo o país, o Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG) pode considerar-se uma área privilegiada e um exemplo a seguir.
Diariamente, 12 brigadas de sapadores florestais, cinco postos de vigia, 19 guardas da União das Associações de Caça, 14 vigias do parque e dois GPI’s (Grupos de Primeira Intervenção) zelam pela preservação da única área protegida nacional que possui a categoria de Parque Nacional, o nível mais elevado de classificação das áreas protegidas.

In Correio do Minho, Marlene Cerqueira

27 agosto 2005

JUVENTUDE NACIONALISTA


Sendo este um Blog Nacionalista não poderia deixar de fazer referencia à existência de uma JUVENTUDE NACIONALISTA. Um órgão do Partido Nacional Renovador especificamente direccionado para os Jovens Portugueses. A JN foi oficialmente enquadrada nos Estatutos do PNR a 16 de Julho de 2005, em sede de Conselho Nacional. Apesar de ainda só ter um mês de existência, tem-se mostrado um projecto com iniciativa e que promete não deixar o “mundo da política” indiferente.

Adere à força
Jovem - Radical - Nacional!
“Se tens entre 14 e 26 anos de idade, já podes aderir à Juventude Nacionalista - a alternativa jovem e radical ao sistema de destruição nacional! O Boletim de adesão está dispoível em formato PDF. Só tens que imprimir, preencher e enviar para o nosso apartado juntamente com a cópia do teu Bilhete de Identidade.” Retirado de www.juvenac.org



Desde já o nosso total apoio à iniciativa.

Os jovens de hoje, são os homens de amanhã.
A equipa do Braga Nacional

26 agosto 2005

Braga :: Capital do Sexo

O tema aqui discutido não justifica as honras de primeira página do nosso blog, mas a gravidade do fenómeno sim!


Os sinais de inquietação por parte do Blog Braga Nacional devem-se ao facto de se ouvir, um pouco por toda a cidade, sotaque brasileiro e do incrível número de anúncios de “relax” onde o nome da nossa querida cidade surge com destaque. Quando faço referência ao “sotaque brasileiro” não o faço por acaso, não é necessário estudar o fenómeno para se chegar à conclusão que grande parte das chamadas “trabalhadoras do sexo” são de origem brasileira, mas não só.

Será possível, que as famílias bracarenses não entendam a gravidade desta questão? Em defesa da família e do seu bem-estar, dizemos BASTA! Á imoralidade e á destruição dos lares dizemos NÃO! Para quem procura tais “serviços” pedimos que não procure o “prazer” de alguns minutos, mas sim, o prazer de ver um filho a crescer saudável e com um futuro à sua frente, que procure o prazer de estar por entre os queridos, livre de doenças sexualmente transitiveis, algumas delas mortais como é o caso da SIDA.

Não poderia falar de prostituição sem abordar algumas questões relacionadas: saúde pública e legalização da “profissão”.

Saúde Pública

Os números da vergonha:

•Calcula-se que haja 30 mil prostitutas em Portugal (o numero cresceu 100% nos últimos cinco anos);

•Portugal é o 5.º maior destino da rota de tráfico de prostituição;

•As autoridades calculam que em Portugal haja mais de 500 bares de prostituição em funcionamento - 80 dos quais no distrito de Braga (um número claramente abaixo da realidade);

65% dos homens que recorrem ao sexo pago são casados, 35% são clientes habituais e têm os 45 anos como idade média;

40% dos homens recorrem com regularidade ao sexo pago, destes 60% confessaram que não tinham usado preservativo na última vez que recorreram à prostituição (algumas mulheres aceitam sexo sem preservativo por apenas + 15€); A UTAD (Universidade de Trás os Montes e Alto Douro) divulgou um estudo onde conclui que os clientes manifestaram "uma clara predisposição" para os chamados comportamentos sexuais de risco e muitos não querem utilizar o preservativo. As pessoas não sabem, ou melhor, não querem saber se estão sujeitas ao vírus da SIDA.

Não acontece só aos outros!

«Segundo dados do Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge, o número de infectados com o vírus da sida aumentou entre os heterossexuais.»


Mas o que me preocupa mais nisto tudo é saber, que o que está em causa não é unicamente a saúde da pessoa que recorre a este tipo de “serviços”, mas sim que estas pessoas têm família. Mulher, filhos, irmãos, etc., com os quais convive diariamente e consequentemente também eles estão expostos a esta fatalidade. Não podemos assim olhar para a prostituição e para as doenças relacionadas como um problema do “cliente” ou da prostituta, mas sim como um problema social e de saúde pública, e que nos afecta a todos como indivíduos de uma sociedade ainda que “podre”.

Legalização da “profissão”

Para quem defende as “trabalhadoras do sexo” e sequente legalização, fica aqui uma nota e o exemplo da Holanda, país que legitimou a “profissão mais antiga do mundo”.
Os defensores da legalização da prostituição na Holanda diziam que era importante este feito porque:

1 – só assim seriam dadas as condições de higiene e segurança necessárias às “trabalhadoras” e seus “clientes”;

2 – teriam direito a seguro (profissão de risco);

3 – teriam direito a fazer descontos para o IRS e, em caso de “empresária em nome individual” estariam sujeitas à retenção do IVA e ao pagamento do IRC (o que se reflectia em mais “dinheirinho” para o estado);

4 – teriam assim direito de fazer descontos para a segurança social e direito a uma reforma;

O que acontece, é que tudo isto, é muito bonito mas em papel e na mente dos liberais. Na prática as coisas são bem diferentes. Ora sejamos! O próprio estado holandês admite agora que as coisas não correrem com de previsto (admirados??). Legalizaram a “profissão”, muito provavelmente a pensar no dinheirinho e não na saúde pública, e agora deparam-se com o problema da não inscrição das mulheres prostitutas na segurança social (porque as mulheres hesitam em assumir-se), com a fuga aos impostos por parte dos patrões do sexo e mais grave ainda com os filhos da p*** dos liberais a pedirem mais medidas, porque as “trabalhadoras” agora reconhecidas, tem direitos. E que medidas e direitos são esses!!??? Rendimento mínimo, cobertura de saúde -universal a toda a população-, programas de inserção social, etc.

Eu pessoalmente faço aqui uma proposta. E porque não um Estado-proxeneta!! Tem todas as condições!! Por exemplo a “fome” de dinheiro e os liberais.

“Sem clientes não haveria prostituição”, mas o contrário também me parece ter leitura.
Mas o que me deixa amargurado é o facto de existir este tipo de comportamento…e como tal questiono-me…

Quais são as propostas políticas concretas para esses tipos de "desvios" sociais? Serão elas capazes de terminar com o problema? Terá o estado portugues a força e a vontade de dar uma responta séria e firme sobre a questão?

Se procurarmos as respostas já é um começo.

Abaixo assinado contra a exibição do programa :: Esquadrão G

Abaixo assinado contra a exibição do programa
«Esquadrão G - Não és Homem, Não és Nada»
O Blog Braga Nacional associa-se a uma iniciativa cívica para a recolha de assinaturas com vista a impedir a exibição do programa «Esquadrão G - Não és Homem, Não és Nada», a estrear no mês de Setembro na SIC.

(...) Consideramos que a homossexualidade é um comportamento não natural e socialmente inútil, pois é estéril na criação de novas gerações e anti-natural do ponto de vista fisiológico e da própria anatomia sexual. Nada na Natureza nos prova que a homossexualidade seja normal, e nada na história das sociedades organizadas nos evidencia as vantagens de eleger a tendência homossexual a comportamento normal e socialmente aceitável. (...) Enquanto cidadãos conscientes e responsáveis, se queremos construir uma sociedade harmoniosa para os nossos filhos, sabemos que temos que nos erguer contra tudo aquilo que atente contra a futura harmonia e normalidade social. Essa é, aliás, uma das principais regras da própria democracia - a participação cívica e o direito à indignação. Caberá às instituições do Estado Português pugnar para a consecução dos fins civicamente exigidos, o que, neste caso concreto, implica necessariamente o impedimento da exibição de «Esquadrão G - Não és Homem, Não és Nada.

Imprime o documento, assina, dá a assinar aos teus familiares e amigos e envia para o apartado da JN: Apartado 1081 / 2660 - 999 Sto. António dos Cavaleiros.

A equipa do Braga Nacional

25 agosto 2005

Braga :: Desemprego

Como toda a gente sabe o distrito de Braga está a viver uma grave crise social e económica, com despedimentos colectivos em grande escala, devido à deslocação, ‘fuga’ e falência de diversas empresas.

Como se não bastasse, o Norte, já ser líder no desemprego, com uma taxa de 8,7% sobre o valor total a nível Nacional, uma nova vaga de desemprego deverá varrer a região do Minho, no período pós-férias. As razões estão associadas ao encerramento de empresas que normalmente sucede nesse período e ao fim dos contratos de trabalho sazonal que abrangem cerca de quatro mil trabalhadores envolvidos em regimes ocupacionais afectos ao Centro de Emprego do distrito. Braga, Guimarães, Terras de Bouro e Barcelos surgem como os concelhos mais preocupantes.

Além da deslocação e da falência de empresas do Minho, a situação é cada vez mais preocupante, dado que existem empresas que admitiam instalar-se na região e que voltaram atrás e admitem agora não o vir a fazer.

Não há responsáveis??
Não há Soluções??
Basta de tangas!

Eu, pelo menos, acredito que sim, que existem soluções!! E acredito também que essas mesmas soluções passam por uma economia com preocupações nacionais e sociais.
Basta de empresas "multinacionais" ou não, às quais apenas importa o lucro!

Braga Nacional :: Apresentação

Eis que é criado o blog dos Nacionalistas do distrito de Braga. Pretendemos tornar esta página num ponto de referência para todos os que se identificam ou simpatizam com a nossa forma de estar. Rejeitamos todas as conotações, vindas de quem vier, pois não será assim que nos derrubarão, alias… nada nem ninguém nos derrubará!
Aqui serão abordados todos os temas oportunos que dizem respeito ao distrito, ao país, e à Europa. Não limitamos os temas, tudo que se mostrar conveniente será aqui falado.
Também é um espaço onde se promoverá as actividades Nacionalistas no Minho e se informará de acções realizadas, como colocação de faixas, distribuição de propaganda, colagens de autocolantes e todo um conjunto de iniciativas.
Desejamos ter aqui um espaço aberto a toda a gente, desde militantes desta nobre causa a opositores ou alguns cidadãos mais sépticos. Por isso apelamos desde já à moderação no caso de o caro leitor querer fazer algum comentário a determinado texto.
Que esta apresentação seja o primeiro de muitos e bons textos aqui presentes e que Braga fique a lucrar com todo este conjunto de informação.
A equipa do Braga Nacional