29 agosto 2005

Homossexualidade :: Perspectivas

Infelizmente, vários grupos de activistas liberais em Portugal, estão a tentar corromper a lei para mudar as definições de Família e assim incluir os casamentos homossexuais, poligâmicos e outras disposições, o que são claramente antinaturais.

É de forma persistente que os activistas homossexuais utilizam para sua defesa o “Mito Urbano” de que nasceram homossexuais ou de que a sua orientação sexual surge cedo na adolescência, que se fixa e que é impossível alterar. Ou seja, é genético! Mas melhor, é quando defendem serem pessoas perfeitamente normais uma vez “que nasceram no seio de famílias heterossexuais saudáveis”.


E é precisamente sobre este “Mito Urbano” que eu me proponho escrever. Para desmontar o lóbi gay e mostrar à sociedade as mentiras que por ai se dizem.

Vou ter como base de refutação os textos apresentados por Rita P. Silva no site http://homofobia.com.sapo.pt/. E porquê este site e não outro? É fácil de responder! Em todos os outros sites que abordam este tema, a tendência é cair no ridículo, acontecimento comum entre essa gente, pois para além de mostrarem fotos de mulheres e homens nus ou seminus e de homens vestidos de “palhaços”, perde toda a credibilidade de quem diz defender algo de sério.
Este site pretende transmitir credibilidade através de textos bonitos, mas na realidade indica parte da verdade, ou seja, são textos relatados da maneira mais conveniente para quem os escreve.

Senhor(a) Rita P. Silva vamos então ver o que tem estado a ocultar aos seus leitores.

Vamos começar pelo tópico “o que é a homossexualidade?”

“…a partir de 1970 começou a surgir uma perspectiva positiva, generalizada, em relação à homossexualidade. A APA (American Phychological Association) retirou a homossexualidade do seu “Manual de Diagnóstico e Estatística de Distúrbios Mentais” (DSM) em 1973, depois de rever os estudos e provas que revelavam que a homossexualidade não se enquadra nos critérios utilizados na categorização de doenças mentais.” In http://homofobia.com.sapo.pt/homossexualidade.html

Aqui só é dita meia Verdade. Pois existe uma ocorrência que a senhor(a) está omitir aos seus leitores.

O Dr. Robert Spitzer, foi um dos principais responsáveis, por de trás da decisão (1973) da American Psychiatric Association´s de remover a Homossexualidade como uma doença mental dos manuais da APA - American Phychological Association.

Mas também, é o próprio Dr. Spitzer que diz actualmente estar convencido que homens ou mulheres que tem orientações homossexuais podem corrigir suas preferências sexuais através da terapia. As suas recentes descobertas estão publicadas num livro intitulado Archives of Sexual Behavior (Vol. 32, nº 5, Outubro de 2003, pp. 403-417).

Ou seja vinte anos de experiência mudaram a sua percepção das causas que defendia.

“…as investigações mais recentes…”. O que é isto? Quer dar credibilidade aos “seus” textos, utilizando termos como "investigação", olhe que as palavras não são tudo, também as temos que sustentar!? Eu vou-lhe falar de algumas investigações.

The Innate - Immutable Argument Finds no Basis in Science: In Their Own Words: Gay Activists Speak About Science, Morality, Philosophy” escrito por A. Dean Byrd, Shirley E. Cox e Jeffrey W. Robinson. narth
Já ouviu falar? Os autores deste estudo citam cuidadosamente um número variado de investigações sobre o tema da homossexualidade sobre as quais trabalharam durante os últimos anos em busca dos genes ou de outras bases genéticas responsáveis pela homossexualidade. O que acontece é que eles falharam e agora admitem que tais provas poderão nunca serem encontradas.

Drª Dean Hamer, outra investigadora, por exemplo tentou ligar a homossexualidade masculina a um fragmento de DNA localizado na extremidade do cromossoma X. E escreveu: “a Homossexualidade não é puramente genética…factores externos tem a sua responsabilidade. Não existe um único gene responsável pela homossexualidade…não acredito que se seja possível prever se alguém vai ser gay…”

Um outro estudo de interesse é o famoso “twins study” realizado por Dr. Bailey e Dr. Pillard e que é muitas vezes citado por activistas homossexuais para promover a ideia de que a homossexualidade é genética. O supracitado estudo revela que por entre as crianças estudadas existe uma percentagem de 52% em que ambos os gémeos idênticos que são homossexuais; 22% por entre os gémeos não idênticos e de 9,2% por entre os irmãos não gémeos.

Esta tese foi muitas vezes utilizada por activistas homossexuais para provar que a homossexualidade era genética. E mais uma vez para dizer que não se tratava de uma doença. Mas Dr. A. Dean Burd (no site da NARTH – National Association for Research and Therapy of Homosexuality) faz uma nota interessante: “este estudo actualmente serve para suportar a ideia que os factores externos são relevantes. Se a homossexualidade realmente estivesse no código genético, em todos os gémeos idênticos, no caso de um se tornar homossexual, o outro também deveria ser.”

Dr. Robert Hicks, autor do livro “the Masculine Journeyescreveu: “…durante estes vinte anos de aconselhamento a homens gay´s, ainda não conheci um que tivesse uma infância normal no que diz respeito à sua sexualidade. É comum encontrar histórias de abusos, de álcool, ou a falta (física e emocional) dos pais; histórias de incesto ou de sexo forçado por irmãos, vizinhos, homens ou mesmo amigos. Sinto que por vezes estes homens são expostos desde muito cedo a pornografia

E os apontamentos poderiam continuar com Dr. Simon Levay e Dr. George Rekers, mas penso que já é mais que suficiente para mostrar e refutar as ideias erróneas que a Senhor(a) Rita P. Silva (mas não só) está a tentar passar aos seus leitores.

conclusão:

Os três principais e mais recentes estudos sobre a homossexualidade que tinham por objectivo provar que a homossexualidade não era uma doença mas algo de genético, nada provaram. Aliás dois dos autores chegaram a admitir que as suas pesquisas não puderam provar que existem bases genéticas na homossexualidade.

Ou seja os estudos mais credíveis sobre a homossexualidade mostram que ninguém nasce “gay”, e que a homossexualidade é uma doença relacionada com problemas de desenvolvimento, que surgem em regra durante a adolescência e sobre o efeito de disfunções familiares ou abusos sexuais.

Infelizmente os activistas homossexuais utilizam esta mesma “lenda” como “cavalo de tróia”, para assim, entrarem todos os dias, de forma subtil na mente das pessoas.

Mais recentemente também os travestis reclamam terem nascido travestis e pedem leis que os protejam da “suposta sociedade intolerante”. Nem me vou prenunciar!

Desta forma pode-se dizer que a informação positiva sobre a homossexualidade, desencadeia que mais pessoas se tornarem homossexuais! Os “Filhos” de homossexuais podem, sim, tornarem-se homossexuais!

Infelizmente, não posso gastar muito mais tempo com este tema, mas acredito que estas linhas são suficientemente claras, para que qualquer pessoa consiga tirar as suas próprias conclusões. E se restarem algumas dúvidas sobre o que escrevi, consultem as referências bibliográficas, de forma a confirmarem tais afirmações.

58 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Muito bom texto, com muitas coisas que não sabia. Mais um motivo para estar presente dia 17 de Setembro, obrigado!

29 agosto, 2005 22:36  
Blogger Ze do Telhado said...

Bom post. Objectivo, imparcial, sucinto e verdadeiro. Continuação de bom trabalho.

Cumprimentos

29 agosto, 2005 23:07  
Blogger Ze do Telhado said...

Só uma opinião, acho que as cores encarnado, branco e preto, pouco têm a ver com Portugal. Lembra mais a bandeira da antiga Alemanha. Ora como Nacionalistas portugueses, usemos as nossas cores nacionais!

Saudaçoes

29 agosto, 2005 23:11  
Anonymous Anónimo said...

estou a apaixonar-me por um trintão lindo...se vos acontecer um dia não vos condenarei...gostaria de vos ver partilhar sentimentos mais humanos e enriquecedores...estamos num mundo que precisa de um forte abanão...admiro a vossa energia e vontade de pôr mãos à obra...só vos/nos falta alguma lucidez...bom trabalho a todos...cumprimentos...até breve...S

30 agosto, 2005 01:08  
Anonymous Arduno said...

Parabéns pelo óptimo texto e pesquisa feita, cada vez mais á que desmascarar os deturpadores das realidades que se aproveitam da apatia das pessoas para espalharem as suas mentiras!
Entretanto achei piada a este ultimo comentário de algum paneleiro aberrante armado em intelectual:)
"Morte aos Traidores" e viva as cores do Reich;)

30 agosto, 2005 04:40  
Anonymous Anónimo said...

é só para relembrar que: "Desejamos ter aqui um espaço aberto a toda a gente, desde militantes desta nobre causa a opositores ou alguns cidadãos mais sépticos. Por isso apelamos desde já à moderação no caso de o caro leitor querer fazer algum comentário a determinado texto."...vá lá, cuidado com as incoerências...até...S

30 agosto, 2005 05:34  
Anonymous Anónimo said...

Os textos não são da Rita, foram traduzidos pela Rita. Défice de concentração ou de interpretação de palavras como "traduzido por" é carcacterística dos Nazis?

Os textos são na sua maioria científicos e de pessoas doutoradas de renome. Entre um tipo que ninguém conhece de lado nenhum e os autores daquele site não é muito difícil escolher.

30 agosto, 2005 10:04  
Anonymous Anónimo said...

Estudos científicos são validados quando são replicados. Replicar quer dizer que foram feitos novamente e os resultados foram coerentes nos vários estudos. A comunidade científica após dezenas e dezenas de estudos pode verificar a validade de um estudo. Este post não apresenta estudos contrários que tenham sido replicados e aceites cientficamente ao contrário daqueles que foram apresentados no site que refere. Portanto a argumentação apresentada não consegue alcançar o patamar do credível.

Quanto à genética, nunca ouvi nenhum activista advogar categoricamente que a homossexualidade é genética, nem encontro no site que refere qualquer referência ou defesa disso.

Mais, do que conheço os estudos que tentam provar a genética que refere são antigos e desactualizados (e não foram validados cientificamente). Há novos estudos mais recentes que apontam para esse sentido, mas também esses ainda carecem de replicação.

Não vejo nada que aquele site esteja a tentar divulgar que não tenha sido validado cientificamente. O mesmo já não posso dizer do seu post.

30 agosto, 2005 10:15  
Blogger Tiago Braga said...

Caro Anonymous,

“Défice de concentração ou de interpretação de palavras como "traduzido por" é característica dos Nazis?” Não poderei responder a essa mesma questão, mas pode ter a certeza que quando encontrar um “nazi” o questiono!

FACTO:

1 – O site www.homofobia.com.sapo.pt não apresenta ou faz citações de um único estudo cientifico que seja digno de título. Limita-se a fazer citações de definições baseadas na psicologia (psicologia = o estudo do comportamento e dos fenómenos mentais subjacentes). Com isto, não quero dizer que a psicologia não é uma ciência, mas considero que seja uma erudição pouco exacta. E também não vou estar aqui a debater sobre os autores que são citados por que então…ficava aqui a noite toda!

2 - É curioso como a senhor(a) Rita no tópico “FACTOS” não faz qualquer referência a autores, ao contrário dos tópicos “Definições” e “Bíblia”, em que se existe uma preocupação demasiado persistente em apresentá-los. O FACTO(S) é que a VERDADE DOI e nesse mesmo tópico não lhe convém dar a conhecer às pessoas nomes dos “doutorados de renome”. Porque a VERDADE é que quando se refere a TEORIAS/TESES FEITO COM BASES NA MEDICINA (uma ciência exacta) JÁ NÃO VOS INTERESSA CITAR. Ou será que o Dr. Robert Spitzer, Dr. Simon Levay e Dr. George Rekers, Dr. Robert Hicks, Drª Dean Hamer, A. Dean Byrd, Shirley E. Cox e Jeffrey W. Robinson não são “pessoas de renome para si”. Eu limitei-me a escrever, com base nas suas teses e conclusões. OU SERÀ QUE PERDERAM A SUA CREDIBILIDADE CIENTIFICA SÓ PORQUE APÓS ALGUNS ANOS DE ESTUDOS DEIXARAM DE ESCREVER O QUE VOCÊS GOSTAVAM DE OUVIR E PASSARAM A CHAMAR-VOS DE DOENTES.

Nota: o que está entre “” e a itálico são citações, a bolt tem os autores e o que considero mais importante está a azul…agora…volta a ler para ver se encontra “…textos…científicos e de pessoas doutoradas de renome…”; eu limitei-me a ler textos de pessoas doutoradas e de renome, citei esses mesmos textos e a tirei conclusões óbvias…

Provérbio: “quem não quer é como quem não vê” e tu não queres ver…

31 agosto, 2005 01:13  
Anonymous Anónimo said...

peço perdão pela intromissão, mas vagueava por aqui. sou bissexual e activista gay; sou também uma pessoa que por matéria de profissão mantém os horizontes alargados de modo a compreender os diversos movimentos sociais. Vim visitar o vosso blog e não posso deixar de notas as imensas incoerências... como no início falarem da poligama (seja poliandria ou poliginia? não fazem menção) como antinatural. De facto é cultural e referente a características socio-geográficas. Quando algumas fracções lgbt reivindicam o casamento, não estão a tentar incluir relações que não monogâmicas, porque se pensarem nisso, o casamento, tal como é concebido na sociedade ocidental, é monogâmico com cariz de exlusividade amorosa/sexual.
Nada mais vos terei a dizer, excepto o vosso lapso quanto à palavra "céptico", com c e não com s. Uma continuação de boa noite.

31 agosto, 2005 05:08  
Anonymous Anónimo said...

[fala ainda a pessoa do comentário acima]
Quanto a dia 17 e particularmente ao motivo que vos movimenta, "contra o lobby gay e pedofilia", algo assim, permitam-me que me apresente como uma incoerência aos vossos olhos: sou, não lésbica mas bissexual, e fico absolutamente revoltada, indignada e repugnada com as questões da pedofilia, de molestadores de criança, bem como de violações a mulheres.

31 agosto, 2005 05:23  
Blogger Tiago Braga said...

Caro Anonymous,

No seu post faz referencia a “imensas incoerências” mas só aponta uma e mesmo essa supracitada não a considero como uma incoerência. O facto é que os activistas querem casamentos homossexuais. Mas isso não abre as portas à discussão de outros temas como os casamentos poligâmicos!!?? Vocês como “cidadãos portugueses e sob a luz da democracia e dos direitos de igualdade” lutam pelo casamento entre homossexuais. “Quando algumas fracções lgbt reivindicam o casamento, não estão a tentar incluir relações que não monogâmicas, porque se pensarem nisso, o casamento, tal como é concebido na sociedade ocidental é monogâmico…” Mas não é a poligamia em africa uma situação muito frequente!!?? Nessa mesma perspectiva e sobre a mesma” luz da democracia e dos direitos de igualdade” porque não dar aos “nossos” imigrantes um direito que já tem no pais de origem. Afinal não lutam vocês por direitos de igualdade! É NECESSÁRIO, TENTAR VER SEMPRE AS CONSEQUENCIAS de uma determinada LUTA.

"séptico" vem do Lat. septicu; Gr. septikós; adj. "que causa putrefacção ou contém germes patológicos." ou seja cidadãos Geradores de putrefacção da sociedade. Ou seja não se trata de um erro, mas mais uma contenção nas palavras.

31 agosto, 2005 09:36  
Anonymous Anónimo said...

Acho que esta manifestação só vai trazer inimigos desnecessários à nossa causa. Sou hetero 100% mas reconheço que a sexualidade de cada um é um assunto demasiado complexo para ser tratado em manifs. Se virem bem, muitos dos solteirões nacionalistas são homossexuais e não gays. Sabem a diferença não sabem? O gay tem uma cultura de ghetto e o homossexual é uma pessoa como outra qualquer que tem preferência por pessoas do mesmo sexo. Vão hostilizar toda essa gente? Sabem que cerca de 15% dos homens e 25% das mulheres têm preferências homossexuais? O mais aconselhável meus amigos seria suspender a manif.
A pedofilia é uma coisa muito diferente e também há no tema muito de americanismo primário. Tendo perdido a guerra contra a liberdade sexual, os calvinistas e seitas puristas inventaram essa cruzada contra a pedofilia. Sabe-se que apenas 0,04% dos adultos têm tais inclinações. A pedofilia é uma doença e a homossexualidade não. Misturar as duas coisas é verdadeiramente absurdo.

31 agosto, 2005 16:10  
Blogger Tiago said...

Anonymous esse comentário só me faz acreditar num facto: NÃO ESTAMOS NA MESMA CAUSA, de certeza absoluta. Tenho dito.

31 agosto, 2005 16:58  
Blogger Hamokes said...

Boas
Vejo que ainda existe muita gente, que não vê "ou não quer ver" o tão prejudicial , na nossa sociedade , tudo o que se refere á Homosexualidade.

Deixo aqui um link , para um post, do meu blog, onde podem ler alguns comentarios bastante interessantes.

PORTUGAL NÂO È UM PAÌS GAY NEM NUNCA O PODERÀ SER NEM DEVERÀ SER, ASSIM COMO PELO RESTO DO MUNDO.

NÃO PODE PASSAR PELA CABEÇA DE NINGUEM, QUE UMA CRIANÇA SEJA CRIADA POR 2 "HOMENS" , POIS TODOS OS VALORES TRADICIONAIS , SERÃO QUEBRADOS, NO SEU DIA A DIA , O MAIS NÃO SEJA , PERANTE OS COLEGAS DE ESCOLA , CRIANÇAS , QUE VÃO CERTAMENTE FAZER XACOTA DESSA MESMA CRIANÇA.

MAIS, SERIA UMA ESPECIE DE PRAGA , POIS PARA ESSA CRIANÇA , SERIA NORMAL , E O MAIS CERTO ERA SEGUIR OS MESMOS PASSOS DOS "PAIS",AUMENTANDO ESSA MESMA CADEIA.

http://vitoralvessilva.blogspot.com/2005/06/homosexualidade-aceite.html

ESTÁ MUITO INTERESSANTE.

FORÇA PORTUGAL E OS SEUS VALORES TRADICIONAIS

31 agosto, 2005 21:18  
Anonymous Sandra Silva said...

A mim que me interessa se o homossexualismo é uma doença ou nao? Importa-me mais que as pessoas tenham liberdade de escolha, em decidir o que querem fazer na vida, quer na sua vida professional, pessoal, sexual, e NINGUEM tem nada a ver com isso! Deixem as pessoas em paz,que se passa? tens ,medo que os teus filhos sejam homossexuais e assim podes tentar culpar alguem ou a propria televisao? Sabias que estudos historicos que provam que ja existia e que era super normalissimo na antiga Grécia e em Roma os homens de boas familias e de altos cargos terem amantes homens, e terem apenas mulheres para profilharem? Deixa as pessoas decidirem a sua vida,mete-te na tua! Que te atrapalha a vida dos outros?

04 setembro, 2005 15:48  
Blogger Tiago Braga said...

Cara Sandra Silva,

"A mim que me interessa se o homossexualismo é uma doença ou não?" ENTÃO NÃO QUER VER AS PESSOAS DOENTES CURADAS???? Eu como cidadão preocupado quero! Quanto ao medo do “meu filho vir a ser homossexual”!? Posso responder que não tenho nenhum medo, porque acredito, se der amor, carinho e atenção ao meu filho ele nunca terá essa doença. Tenho MEDO sim, de gente doente poder vir a adoptar crianças, esse é o meu grande medo. Quanto à “história da homossexualidade”…o que lhe posso dizer é que de facto isso aconteceu, mas aconselharia também a ler com mais atenção essa mesma “história”, irá constatar com certeza, que tudo isso acontece num período de decadência civilizacional…

05 setembro, 2005 00:45  
Blogger Tiago said...

Normalmente quando se fala na homossexualidade no Império Romano associa-se logo às grandes festas, cheias de fruta, vinho e ouro com gente feliz em grandes orgias... no auge Romano... mas não... esses actos aconteceram quando Roma estava a bater no fundo, numa corrente de desespero irracional.

05 setembro, 2005 01:50  
Anonymous Sandra Silva said...

Tiago,e se mesmo assim o teu filho ou filha for homossexual,vao ser menos teus filhos? vao ser piores pessoas? vais ama-los menos?

05 setembro, 2005 03:30  
Anonymous Anónimo said...

Por falar em "meias verdades" o método de selecção de pessoas para o estudo de Dr. Robert Spitzer foi criticado fortemente por 14 das 26 pessoas que reviram o documento e isto é tão claro que teve de ser admitido pelos próprios defensores da teoria de que se pode mudar de orientação sexual (www.newdirection.ca).

06 setembro, 2005 19:55  
Anonymous Anónimo said...

E por falar em citações:

While many frequently cite the study as proof reparative therapy works, Spitzer said his results have been misrepresented. "It bothers me to be their knight in shining armor because on every social issue I totally disagree with the Christian right," he said. "What they don't mention is that change is pretty rare."

And Spitzer calls "totally absurd" the twin hypotheses everyone is born straight and homosexuality is a choice.

06 setembro, 2005 20:07  
Blogger Tiago Braga said...

"A Brief History of New Direction"

"...there was virtually no Christian ministry in the Toronto area... devoted to care and concern for those within the homosexual community"

Our Mission:

"Offering Christian support to men and women choosing to leave homosexuality..."

retirado de www.newdirection.ca

será necessário comentar...

a citação é de que livro?? Quem escreveu?? em que livro Spitzer fez tais afirmações??

07 setembro, 2005 00:34  
Anonymous Anónimo said...

Ao Tiago Braga... a citação foi retirada do artigo do WashingtonPost

http://www.washingtonpost.com/wp-dyn/content/article/2005/08/15/AR2005081501022_pf.html

07 setembro, 2005 02:10  
Anonymous Anónimo said...

O mundo já tem dramas que chegam,mas os que partilham da opiniao,que pessoas do mesmo género possam adoptar crianças,desejam contribuir com mais alguns.

A PURA REALIDADE QUE ALGUÈM NESTE BLOG EVOCOU:

"NÃO PODE PASSAR PELA CABEÇA DE NINGUEM, QUE UMA CRIANÇA SEJA CRIADA POR 2 "HOMENS" , POIS TODOS OS VALORES TRADICIONAIS , SERÃO QUEBRADOS, NO SEU DIA A DIA , O MAIS NÃO SEJA , PERANTE OS COLEGAS DE ESCOLA , CRIANÇAS , QUE VÃO CERTAMENTE FAZER XACOTA DESSA MESMA CRIANÇA."






Concordo e prevejo as tragédias que advirão

08 setembro, 2005 11:46  
Anonymous Anónimo said...

"NÃO PODE PASSAR PELA CABEÇA DE NINGUEM, QUE UMA CRIANÇA SEJA CRIADA POR 2 "HOMENS" , POIS TODOS OS VALORES TRADICIONAIS , SERÃO QUEBRADOS, NO SEU DIA A DIA , O MAIS NÃO SEJA , PERANTE OS COLEGAS DE ESCOLA , CRIANÇAS , QUE VÃO CERTAMENTE FAZER XACOTA DESSA MESMA CRIANÇA."

Esta "pura" realidade esquece que 1 em cada 4 crianças em Portugal nasce fora de um casamento.

Esquece também que este foi o "argumento" utilizado no século passado para:

-proibir os divórcios
-proibir os casamentos inter-raciais

Helllllloooooo?

08 setembro, 2005 12:24  
Blogger Tiago said...

Uma coisa são filhos fora de um casamento, têm na mesma uma mãe e um pai. Outra coisa são "filhos" de um casamento homossexual, onde o pai se chama Manuel e a mãe João... ou será o contrário? Já nem sei...

08 setembro, 2005 13:57  
Anonymous Sandra Silva said...

Continuo a espera da resposta do tiago... e de todos os nacionalistas,caso um dos vossos filhos sejam homossexuais,qual seria a vossa reacção!!!

08 setembro, 2005 19:52  
Anonymous Anónimo said...

Esta "pura" realidade esquece que 1 em cada 4 crianças em Portugal nasce fora de um casamento...
Helllllloooooo?


Mil vezes preferível ser criado por só um dos progenitores, mesmo pobre que seja,do que em riqueza ter um João e um Manuel como pais fictícios.
Se raciocinar, atinjirá o que de dramático será ,caso a estupidez humana o permitir.
Um FILHO deve ser amado.
Um FILHO não è um objecto.
Um FILHO pode, mas nao devia sofrer.

09 setembro, 2005 13:04  
Anonymous Anónimo said...

caso um dos vossos filhos sejam homossexuais,qual seria a vossa reacção!!!

08 Setembro, 2005 19:52



Embora a vida continuasse...a minha tristeza seria eterna.

Revoltado? Seria uma questão a colocar a quem tem experiência própria.

09 setembro, 2005 13:21  
Anonymous Anónimo said...

Um FILHO deve ser amado.
Um FILHO não è um objecto.
Um FILHO pode, mas nao devia sofrer.

Precisamente.

É por isso que uma criança deveria poder ser adoptada por duas pessoas do mesmo sexo.

A única coisa que ele vai sofrer é do preconceito dos outros, o mesmo preconceito que afecta os filhos de mães solteiras, de pais divorciados, de luso-africanos...

09 setembro, 2005 13:33  
Blogger Tiago said...

A única coisa que ele vai sofrer é do preconceito dos outros, o mesmo preconceito que afecta os filhos de mães solteiras, de pais divorciados, de luso-africanos...


Os meus pais sao divorciados e não tenho qualquer complexo nem sofro qualquer tipo de preconteito por parte de ninguem.
Por favor nao comparem mães solteiras, divórcios, etc... a TER DOIS PAIS!

09 setembro, 2005 13:52  
Blogger Tiago said...

Para além disso as relações entre gays são muito mais instáveis do as relações heterossexuais.

09 setembro, 2005 13:53  
Anonymous Anónimo said...

lvsitano...

não sei que idade terás, mas quando eu andava na escola ser filho de pais divorciados era um grande problema...

...principalmente para os outros pais...

curioso como o que era tão óbvio há uns anos deixou de o ser agora (tás a ver o pradrão?!?)

09 setembro, 2005 20:13  
Blogger Tiago said...

Seguindo esse padrão, será normal daqui a uns anos um miudo ter 2 pais? Não queiras comparar... Mesmo divorciados, a criança/jovem tem um pai e uma mãe...

10 setembro, 2005 00:22  
Anonymous Anónimo said...

lvsitano... embora não estejas para aí virado, vou deixar aqui um exemplo prático (no campo das suposições)...

luísa e maria vivem juntas há 10 anos, partilham a casa, estão inseridas na sua comunidade local.

luísa tem um irmão rui, casado, pai de uma criança de 7 anos.

esta criança sempre viveu entre a casa de rui e a casa de luísa e maria, tendo sido efectivamente educado nas duas casas (tal como acontece com tantas crianças neste país).

os pais da criança morrem num acidente de viação (infelizmente coisa também muito comum neste país...).

fica a pergunta sobre o que é "melhor" para a criança:

1-ser dada a adopção por casais heterossexuais que ela nunca conheceu

2-ser adoptada por outro familiar do rui, mesmo que estes não tenham participado na educação da criança

3-ser adoptada apenas pela luísa (situação que a lei portuguesa já contempla)

4-ser adoptada pela luísa e pela maria em conjunto.

Tem de se ser muito tacanho para não perceber que a opção 4 é a que protege melhor os interesses da criança... mas o preconceito tem destas coisas: não escolhe alvos.

10 setembro, 2005 12:43  
Anonymous Anónimo said...

Um FILHO deve ser amado.
Um FILHO não è um objecto.
Um FILHO pode, mas não devia sofrer.

NÄO DEVIA SOFRER
-----------------

Ninguem deseja e muito menos perspectiva a infelicidade dum filho mesmo adoptado que seja.

Nisto não existe discrepância .

Divergimos sim,quando alguem aqui nos nos quer convencer, que o sofrimento advindo de preconceitos da sociedade que nos rodeia, devem ser inseridos na normalidade.
Será normal uma crianca ser xacoteada pelas outras? Ser confrontada com a "Diferença"?
Viver a partir daí,complexado,introvertido , depressionário e amaldiçoando quem lhe proporcionou a adopção?

Naturalmente, que não devemos olvidar, tudo isto e muito mais ,mas com uns pais muito felizes!!!lol

10 setembro, 2005 13:25  
Blogger Tiago said...

3-ser adoptada apenas pela luísa (situação que a lei portuguesa já contempla)


Está escolhida a opção... e sabes porquê? Porque em caso de separação, poupa-se a criança de sofrer entre duas pessoas...

:)

10 setembro, 2005 19:41  
Anonymous Anónimo said...

lvsitano...

Ainda bem que estás tão bem informado sobre as razões de existir adopção preferencial por um casal.

O teu argumento é fraco visto que não é por não haver guerra legal por tutela que a criança não vai ser afectada emocionalmente pela situação: é óbvio que na prática a criança vai ser educada pela duas mulheres e vai ter de ser ver na situação de abandonar uma das pessoas que a educou.

Mas a coisa é ainda mais complicada...

-se a luísa não puder por qualquer razão estar presente fisicamente (porque se deslocou ao estrangeiro, ou em situação de acidente) a criança fica sem tutor legal para uma série de situações do dia a dia (desde de inscrição na escola, visita hospitalar, autorização de viagem).

-se a luísa falecer a maria não tem legalmente a tutela da criança mesmo que a tenha educado toda a vida.

10 setembro, 2005 21:52  
Anonymous Anónimo said...

Gosteria de ler neste blog uma análise sensata dum eventual percurso de vida dum/a filho/a adoptivo. Na via pública ser passeado no carrinho pelos "dois". Irem ao jardim infantil e ás reuniões de pais. Na escola primária e a convivência com condiscípulos. Convidar os primeiros "amigos" a ir a sua casa. O despertar da sexualidade. Qual o desejo dos pais nesse âmbito. Pretendem um filho heterossexual ou de orgulhosos do próprio homossexualismo, um como eles?
Obviamente que a vida não termina aqui e como adulto, existirão certamente imprevistos num processo ainda bastante descutível,que numa escala de percentagem,poderá ser negativa para os adoptados, caso isto venha a ser realidade.

Se a Luisa vai, ou Maria fica ,nao nos esclarece absolutamente nada.
É necessário muita mais lucidez .

11 setembro, 2005 09:31  
Anonymous Anónimo said...

leia-se discutível

11 setembro, 2005 09:34  
Anonymous Anónimo said...

"É necessário muita mais lucidez"

Veja-se então o percurso de:

- uma criança adoptada por um casal luso-africano a viver em Guimarães

- uma criança adoptada por um casal com 50 anos de idade

- uma criança loira de olhos azuis adoptada por um casal de típicos mediterâneos (morenos, olhos negros)

Será que este percurso vai ser muito diferente da nossa criança filha de duas marias ou dois mários?

É necessária muitíssima mais lucidez, realmente.

11 setembro, 2005 12:54  
Anonymous Anónimo said...

"Será que este percurso vai ser muito diferente da nossa criança filha de duas marias ou dois mários?"



Qualquer dos outros casos que indica, aproxima-se muito mais do natural e aceitável.

Por exemplo:
- "uma criança loira de olhos azuis adoptada por um casal de típicos mediterâneos (morenos, olhos negros)"
Neste,qual é o problema?

Respeito o seu facciosismo,porque outra outra coisa nao lhe resta,para além do crer, que tem a razão do seu lado.
No fundo tambem é humano.
Nos racionais tudo é possível.

Acima de tudo e de todos deviam estar as crianças,mas nos tempos que decorrem, muita gentinha pensa só em si.
paciência.
Um referendo e isto deixava de ser caso.

11 setembro, 2005 16:16  
Blogger Weisswurst said...

Algumas questões aos defensores dos homosexuais e consequente adopção de crianças:

Ao aceitarem a adopção de uma criança por parte de um casal de homosexuais (por exemplo, dois homens), aceitam também uma adopção por parte de um trio?
E se for um quarteto ou um seixteto?
E já agora, quando os "papás" forem fazer o registo da criança, vai só um indivíduo ou o resto do comboio?

E o bilhete de identidade da criança? Será necessário alargar o campo da filiação, caso a criança tiver 3 ou mais "papás"?

15 setembro, 2005 21:50  
Anonymous Anónimo said...

tenho mt pena que pensem tão mal dos gays...para mim vçs são pobres de espirito que n tem nada p fazer da vida a não ser criticar as opçoes dos outros o amor é igual p todos e ninguem tem nada a ver c isso...preocupen-se mais c outras coisas como a pobreza,pedofilia guerra etc
a minha vontade era desconpor toda a gente...sabiam que a maioria dos gays tem profissões mt melhores q as vossas,que são pessoas mt mais sensiveis e felizes q vçs
deixem-nos em paz e olhem p vçs e p a vossa familia cambada de burros e egoistas

17 setembro, 2005 13:59  
Anonymous Anónimo said...

tenho mt pena que pensem tão mal dos gays...

O senhor deturpa na sua excitação despropositada,algo que se tem aqui civilisadamente debatido.

Ninguem pôs em causa "o ser ou não ser" !

Pois que o seja e tenha muito bom proveito e mais...até acredito que seja feliz,

O debate é sobre a adopção de crianças! ou ainda não atingiu?

E já agora garanto-lhe que a nossa família não tem culpa nenhuma do que se escreve neste blog.

17 setembro, 2005 22:08  
Blogger Weisswurst said...

É claro que os gays têm melhores profissões que as "nossas"... Isto é mais uma prova que existe de facto, um loby gay em Portugal.

Já agora, se "vocês" têm as melhores profissões, e são tão felizes a levar no rabo, porque raio se queixam tanto de descriminação?

17 setembro, 2005 23:11  
Blogger Mandrake said...

sss

18 setembro, 2005 01:35  
Blogger Mandrake said...

Caros senhores e meninos:
Requerer candidaturas a militantes de 14 anos é apelar ao analfabetismo politico (pedo-filia politica) e é o que as gihad fazem com as crianças-assassinios com base na má formação intelectual, moral e deturpação religiosas dos requeridos.
O problema do nosso país, e este partido é exactamente o que faz, é apelar à hegemonia ideologica, exactamente o que alguns homossexuais fazem(felizmente uma minoria, e que vcs próprios criticam), a referir, sem tentar angariar votos ou aliciar crianças de 14 anos.É importante ler um pouco mais acerca do DSVM pare se descobrir amigos que homossexualidade e pedofilia estão muito longe e muitos de vós sabem na pele disso mesmo.As pessoas ainda não aprenderam a respeitar as opções de cada um, é como que um mal estar, uma constante raiva, porque não nos sentimos bem com os outros, no fundo connosco próprios. Estes fenómenos de classificação patológica da homossexualidade são deveras hilariantes.Então um gay é um doente porque tem relações anais?Quantos de vós gosta de fazer uma penetração anal-ou ainda acham que gay é só o passivo??Quantos de vós gostam de uma excitação, quer seja oral ou com quaisquer outros membros, nos orificios anais?Entao?...Quem não gosta de um belo beijo entre o pescoço e a parte de trás da orelha, onde a lingua desce suavemente até meio do pescoço alcançando o tal "arrepio na espinha"? E porquê? porque é uma zona sensivel, mais para uns que para outros.Isto, carissimos, não é aínda doença, e espero que não o seja..Quantos de nós temos uma mãe que nos faltou e um pai severo que nos castigou reprimindo o nosso complexo de édipo a medo e toda a nossa imaginação ao ponto de nos por a tremer?Quantos de vós tendem a culpar os outros pelas vossas desgraças e mau estar emocional? Nem Freud em 1900 considerou a homossexualidade doença, mas arcaicamente, uma manifastação de determinadas patologias, assim como a Histeria, tão bem, por vós, manifestantes niilicos, conhecida.Vai um pouco mais além e é por isso que se estuda e se evolui.É por este motivo que não existem só pessoas louras porque um dia um grupo de nações achou que era um disparate classificar mos alguem apenas pela cor dos olhos.Isto tudo para dizer que considero uma extrema falta de sensibilidade estar mos a entrar na privacidade de cada um e quase que me atrevo a deixar esta questão no ar:Porque será que a Homossexualidade preocupa tanto alguns? .A resposta poderá estar à altura de um espelho-A Homofobia poderá ser exactamente um mecanismo de defesa
Obs: não sou homossexual, tenho 27 anos de idade, ja li " a minha luta",não pertenço a qq ordem religiosa e um dia foi me dada a liberdade para pensar-a Liberdade.Um dia o nosso país não a teve, hoje tem.Um dia a alemanha não a teve, hoje tem. Vou ter uma filha (espero que seja o que ela quizer e que tenha liberdade para isso)e gostaria muito que o meu país fosse um país em que eu, branco, negro, coxo... tivesse a oportunidade de poder passear na rua sem que um grupo de pessoas se dirigisse a mim apontando me o dedo, mas que se dirigisse a mim para conversar um pouco, beber um café, conhecer me por que as pessoas antes de serem homossexuais, skinheads, fundamentalistas religiosos, são pessoas e não ha ninguem que não tenha uma patologiazinha ou uma vulgo personalidade dificil.
Um abraço a todos.

18 setembro, 2005 02:15  
Blogger Mandrake said...

Vocês desculpem mas realmente quanto mais leio o que foi postado, melhor consigo perceber o que se passa na cabeça de quem acha que a homossexualidade uma doença, que é impossivel uma criança ser acolhida por duas pessoas do mesmo sexo em detrimento do nao ter familia ou estar constantemente a ser sodomizada numa instituição, e sinceramente o que consigo perceber é que ou realmente esta é uma população muito jovem, ou com alguma deficiência, provavelmente congénita (ver DSVM em disturbios de personalidade).Meus caros, se vamos falar de patologias e se a homossexualidade pudesse ser definida com fundamentos como os que acharam plausiveis, hoje provavelmente teriamos deus na mão e seriam voçês os doutorados do futuro.Felizmente, meus caros, a ciância tem vindo a evoluir, e, felizmente, com ela, alguns dos melhores pensadores e cientistas.Eu nem me vou dar ao trabalho de vos dar bibliografia, pois se aínda acharem que o eco do pato não existe, é porque nem sequer a porcaria da TV cabo vêm.Ter mente aberta, vontade de aprender e saír da Idade Média é meio caminho andado para a homossexualidade não se resumir a uma citação.É por este motivo que uns têm trabalho, outros não....
Ah...tb de referir que, basta abrir os olhos, para se ser promiscuo não se precisa de ser gay...Cda um olha para si e pensa quantas vezes se baba quando passa uma miuda gira, claro que, só não a come se não puder...A questão não está na promiscuidade mas na falta de oportunidade, excesso de pseudo-pudor, porque aínda julgam que uma mãe por ser uma mãe não é mulher, não se masturba, não gosta de abocanhar um belo falo...Meninos a inteligência constroi se...como querem que um partido ou uma ideologia vença quando não há sensibilidade nem adequação à realidade? Um dia vais ter um amigo, ele será gay e tu vais perder esse amigo, porque a amizade para ti não conta, porque preferes deixar uma criança a apodrecer numa instituição a vê-lo felis com duas pessoas---PESSOAS-ANTES DE SE SER HOMEM É- SE PESSOA, É- SE ALGUéM.Têm por certo um rotweiler, carro rápido...(ou desejam)tal é o medo...(não querendo pecar, obviamente, em pre-conceitos, apenas um estilizar da masculinidade ao rubro, vulgo feromonas dos 15 anos de idade pelas quais ja passei.Felizmente ja la vão...Pufffff....

18 setembro, 2005 02:53  
Blogger Mandrake said...

desculpem, erro de dactilografia---Feliz é com Z

18 setembro, 2005 02:54  
Anonymous Anónimo said...

O problema de vocês (os que defendem que o estilo gay seja ministrado, como uma vacina pelos mass media),é a arrogância de pensar que são os detentores do conhecimento sobre o fenômeno gay...
Pensam que lá por seguir assíduamente, no sofá, os documentários da "tv cabo" são cidadãos "modernos" e sabem tudo sobre tudo, quando nem sequer há concenso no seio da comunidade científica.
(consultar texto deste post, sfv)

19 setembro, 2005 01:12  
Blogger Tiago Braga said...

Mandrake

Se és tão “mente aberta” e a favor de todas as liberdades não ficarias chateado se um dia a tua filha aparecesse lá em casa com uma “namoradinha”. Ou então que em caso de uma fatalidade a tua filha fosse adoptada por um casal de homossexuais.

Não te importas, porque, provavelmente não conheces sítios como bares gays e as suas “salas escuras” (ver novo tópico) e o que se passa lá dentro ou então sabes porque és frequentador…

19 setembro, 2005 09:51  
Anonymous Anónimo said...

Li aqui varias coisas que me parecem erradas e fruto de preconceito mais do que conhecimento de causa e que por conseguinte passo a comentar , numa tentativa de esclarecer as coisas:

1-Os casais "gay" são mais instaveis que os casais "hetero"


são mesmo? Esta' mais do que provado que MUITOS POUCOS casais são de facto estaveis , o que prova o aumento das taxas de divorcio pelo mundo fora.
A existência de casais perfeitos, como sabemos, e se a despirmos de toda a moral judaico-cristã, é apenas consequência de um esforço conjunto entre os dois membros desse casal, oras, se numa relação entre dois seres adultos do mesmo sexo existir essa vontade e essa luta , penso que sera' um casal tão perfeito como todos os outros.

2-Os filhos de gays, gays serão

esta é facil de desconstruir, se assim fosse não haveria homossexuais, pois pela mesma linha de pensamentos , filhos de straights , straights seriam, e como sabemos, não é esse o caso.

3-Comportamentos promiscuos, bizarrias

Muitas vezes acontecem na sociedade homossexual porque existe um grande preconceito por parte da sociedade portuguesa, que obriga à criação de ghettos, é normal , as pessoas sentem-se mais protegidas. Solução: "destabuizar", desconstruir a ideia que a homossexualidade é uma doença ou um problema.

3-A homossexualidade é uma doença.

Penso que é uma ideia deveras ultrapassada , apenas defendida por psiquiatras extremistas ultra-religiosos nos EUA. Se é genética ou não esse não me parece ser o problema. SOmos um ser social. Obviamente os nossos comportamentos, apesar de terem uma carga genética, ou chamemos-lhe, um potencial de nascença, crescerão e serão ou reprimidos ou aceites ou repudiados dependendo da educação.. mas isso é também uma imposição social. Nos somos,no fundo animais cujos instinos são reprimidos. Ha' 100 anos uma mulher certamente teria sexo apenas APOS o casamento e para fins de procriação, mas isso não quer dizer que ela não tivesse vontade de o ter de outra forma. Penso que se alguém é homossexual , e quiser de facto ter seco com alguém do mesmo sexo, isso acontecera'.

19 setembro, 2005 22:55  
Anonymous Anónimo said...

Acho uma idioteira continuares com esta parvoíce..

Apesar de achar que deveria ser legal , espero que tu e o Ricardo não se lembrem de adoptar sequer um cão, quanto mais uma criança.. Mas, como deves imaginar, não é a tua homossexualidade que me assusta, é a tua cabeça.

Vê lá se te deixas de merdas que há aí gente que te leva a sério. Um dia ainda levas nas trombas de um destes "admiradores" que tanto te elogiam.

20 setembro, 2005 19:52  
Blogger Tiago Braga said...

1 – E porque que muitos poucos casais são realmente estáveis? E porque é que há um aumento nas taxas de divórcios? Porque hoje e cada vez mais a palavra compromisso não tem qualquer significado para gente como vocês. Dessa forma e nessa maneira de pensar hoje estão com um ou dois e amanha estão com outro. A diferença entre nos e vocês é que quando assumimos um compromisso com alguém fazemos de tudo para o manter, mas acima de tudo não nos comprometemos sem ter a certeza. Não temos a certeza de resultar mais não “entramos numa relação a pensar que se não der vou para outra” mas sim empenhados em fazer essa mesmo resultar.


2 – Errado! Nunca aqui se disse que um filho de Homossexuais seria obrigatoriamente ele próprio um homossexual. Não acreditamos é que uma pessoa doente esteja ou seja capaz de cuidar/educar uma criança. Alias já está mais que provado que a homossexualidade não é genético. (Ver: Homossexualidade :: Perspectivas)


3 – Essa é nova!! Agora é por culpa da “sociedade” e do seu “preconceito” que os homossexuais se encanam em orgias, em quartos escuros e saunas, onde fazem “sexo com desconhecidos”…(ver novo Tópico Quartos Escuros :: A “carne” espera-os). Isso é digno de um Stand up comedian.

4 – “Nos somos, no fundo animais cujos instinos são reprimidos” - Também está no instinto animal proteger o seus próximos e é isso que continuarei a fazer…

20 setembro, 2005 20:14  
Anonymous mandrake said...

Bem....De facto devo referir que o conhecimento que tenho de sociedades gay é um conhecimento de experiência feito, não porque, volto a repetir, seja gay, mas porque felizmente tenho muitas pessoas bonitas à minha volta uns gostam de homens outros de mulheres e vejam bem, quase por artes mágicas, homens comm homens, homens com mulheres e homens com mulheres...É verdade...eles existem...
Penso quem vos levará a sério se essas bizarrias citas por vós, e digo bizarrias dessa contra- corrente intelectual em que se inserem.Para vós, presumo que ou se condena o aborto ou se não o condenam é porque é a própria namorada que está pranha, certo?
Tanta hipócrisia para quê?
Docta ignorantia....
E drogas?tb nao se drogam, o vulgo puritano condena a sexualidade livre mas nao as drogas, porque lhe convém,estas, acabam, até, se calhar por calar o grito do verdadeiro (escondido) epiranga .
O que vocês pretendem de uma criança é que uma cambada de mentecaptos lhes injecte esses fundamentalismos de extrema direita disfarçados, ou não é isso, ou a honestidade não vos assenta??imparcialidade é honestidade---já agora porque não acabar com as raças no mundo?provavelmente muitos dos que defendem este pseudo nacionalismo nem sequer constam da lista do Verdadeiro Ariano...enfim...contra nós lutamos...
A Resposta à pergunta que me foi colocada é:Antes ter uma filha entre duas mulheres ou entre dois homens, que no seio de muito brutamontes que nem sequer falar sabe, chega a casa bate na mulher, viola o filho, janta e sai para dar uns tragos fora e uns pinotes ali pelo monsanto.
Bizarrias.....
Bizarrias?Hum....Talvez, se assim nos fizer feliz....Quantos de vós se sentem felizes?
E agora a derradeira pergunta- Sabes quantas casas de alterno existem em portugal?Quem é promiscuo?
Quantas vezes te vens à frente de um televisor ou de um computador?-quem é perverso?
quantas vezes desejas o mal dos outros?-quem é sádico?
Quem é gay é isso tudo ....tal como tu!

23 setembro, 2005 23:34  
Blogger Tiago Braga said...

Tanta parvoíce junta dita num só comentário…fds…ou das duas, três…ou sofres de um atraso mental e ai está perdoado ou está aqui simplesmente para provocar com as barbaridades que dizes ou como 99% das pessoas falas antes de te informares sobre a realidade das coisas, neste caso o Nacionalismo. Nenhum do posts deste blog foi colocado sem que antes tenha existido um “estudo” sobre o referido assunto.
Tu, pelo contrário, falas do Nacionalismo e demonstra não ter qualquer conhecimento sobre o mesmo ou o que conheces é pelo que os teus amigos gays falam.
Por isso não mereces comentários…

Mas sim conselhos:

1-lê mas lê muito sobre o nacionalismo para depois sim poderes postar e dizeres algo com coerência e lógica sobre o tema do nacionalismo. (lê sobre o que pensamos em relação ao aborto, drogas e sobre o que significa “ariano”)

Nota - Não entendo a tua referência à docta ignorantia.
Fica-te bem esse pseudo intelectualismo!!

24 setembro, 2005 10:27  
Blogger Weisswurst said...

Ainda bem que podemos contar com a eloquente sapiência do mandrake, que como por artes mágicas embala no mesmo saco, todos os assuntos cuja associação ao que ele chama de "extrema direita" lhe foi ensinada a fazer.
Por fim, tira o coelho da cartola, com a frase "Quem é gay é isso tudo ....tal como tu!"
Ele é o verdadeiro mágico!
Vejamos:


o conhecimento que tenho de sociedades gay é um conhecimento de experiência feito
Tenho a certeza que já todos concluimos isso, por aqui. É sempre bom podermos contar com os conhecimentos de especialistas em paneleiragem.

E drogas?tb nao se drogam, o vulgo puritano condena a sexualidade livre mas nao as drogas
O vulgo puritano? Quem é esse? Na sua injecção de libertinagem, não lhe ensinaram também que não se deve generalizar? Ou será que o seu conhecimento dos puritanos, é também "um saber de experiência feito"?

O que vocês pretendem de uma criança é que uma cambada de mentecaptos lhes injecte esses fundamentalismos de extrema direita disfarçados
Errado. O que pretendemos é que as nossas crianças não se transformem em papagaios arrogantes como você. Sim, você que pelos vistos, levou a tal injecção e vêm agora para aqui, cheio de conhecimento empírico, a julgar todos os que TÊM A CORAGEM de pensar diferente!
Você é um merdas. E ainda por cima, está tão entusiasmado a papaguear as sua retórica, que ainda não reparou num coisa muito simples: O que a grande corrente nacionalista reprova, é a lavagem cerebral que está a ser feita em Portugal, pelos média, com vista a banalizar e colocar "na moda", a homosexualidade. A prova viva disto, é você próprio. Pela troca de opiniões que tenho tido, dentro do meio, essa lavagem é muito mais
criticada, do que a a homosexualidade em si.


muitos dos que defendem este pseudo nacionalismo nem sequer constam da lista do Verdadeiro Ariano
O seu probelma, é que viu demasiado cinema e documentários à moda de "hollywood". A sí, como espectador assíduo, foi-lhe ensinado que "Ariano" é um indivíduo louro, alto e de olhos azuis. Nada mais incorrecto!
ARIANO É TODO AQUELE QUE DESCENDE DA CULTURA E LÍNGUA INDO-EUROPEIA.
Se quiser aprender mais sobre este assunto e fazer menos figura de idiota, aconselho-o a pesquisar em WWW.FORUM-NACIONAL.NET (secção raça e identidade)


que no seio de muito brutamontes que nem sequer falar sabe, chega a casa bate na mulher, viola o filho, janta e sai para dar uns tragos fora e uns pinotes ali pelo monsanto.

Quantas vezes te vens à frente de um televisor ou de um computador?

Perante tamanha minúcia na discrição dos pormenores, só posso concluir que se esteja a ver ao espelho.

24 setembro, 2005 10:56  

Enviar um comentário

<< Home