25 outubro 2005

Prora: Uma estância de férias para 20,000 trabalhadores



Entre 1936 e 1939 o regime Nacional-Socialista alemão construiu um enorme complexo destinado a albergar cerca de 20,000 trabalhadores Alemães.
Este empreendimento demonstra a preocupação social daquele regime para com a classe trabalhadora, implementando pela primeira vez no mundo, um conceito que mais tarde viria a ser conhecido com lazer no trabalho.
Tratava-se de um edifício com 4,5 kms de comprimento cujo objectivo inicial era o de proporcionar às famílias Alemãs, descanso e divertimento após uma longa temporada de trabalho. Várias garagens, um estádio de futebol, uma marina, e campos de golfe são algumas das regalias a que os ocupantes de Prora teriam direito.
Com o desenrolar da 2ª Guerra, estas instalações passaram a ajudar o esforço de guerra Alemão, fazendo com que o objectivo inicial, infelizmente, nunca tivesse sido cumprido.
As ruinas deste complexo turístico foram mantidas em segredo até à queda da União Soviética, que o usou para proveiro próprio, para fins militares.
Quer seja pelas características arquitectónicas, quer seja pelo conceito até então inovador, não há nenhuma razão, para que este projecto se mantivesse (e pelos vistos, continua) em segredo a não ser uma vontade obscura em esconder da opinião pública, as preocupações sociais que o dito regime tinha.

17 outubro 2005

PORTUGAL COMO DESTINO

A "pedido" de alguns leitores deixo aqui um/o espaço adequado para se poder falar da imigração/emigração, "prós e contras".

PORTUGAL COMO DESTINO

O grande "boom" da imigração ocorreu a partir de 1999 e só em 2003 abrandou.
O número de imigrantes legais em Portugal, atinge 388.258 pessoas (Meados de 2002).

IMIGRANTES CLANDESTINOS

A situação dos imigrantes ilegais, sobretudo no Algarve, tornou-se nos últimos tempos particularmente problemática.
Uma coisa é certa o número de imigrantes ilegais, nos últimos anos, não tem parado de aumentar. Estimava-se em Abril de 2002 que vivessem em Portugal cerca de 200 mil imigrantes clandestinos, os números reais ninguém o sabe.
IMIGRANTES ASIÁTICOS
Residentes estrangeiros de países asiáticos:China-6.940 (dados de 18/2/2002). India-1.296; Paquistão-860 (dados de 12/2000).
IMIGRANTES DO LESTE
Residentes estrangeiros de países do leste da Europa: Ucrânia-50.499; Moldávia-10.221; Roménia-8.815; Rússia-6.015 (dados de 18/2/2002). Calcula-se que o número de imigrantes do leste legais e em situação ilegal seja actualmente superior a 200 mil.
IMIGRANTES BRASILEIROS
Residentes estrangeiros provenientes do Brasil:48.691 (dados de 18/2/2002). O número real de brasileiros a residir em Portugal, em meados de 2004, calculava-se que fosse superior a 100 mil pessoas.
IMIGRANTES DE ÁFRICA - Países Muçulmanos
Nos últimos dois anos, foram concedidas 1348 autorizações de permanência a marroquinos, seguindo-se os egípcios, com 654, os argelinos (138) e os tunisinos (136). As restantes nacionalidades não têm praticamente qualquer expressão. (Dados de Fevereiro de 2003).
IMIGRANTES AFRICANOS
A principal comunidade é a cabo verdeana, cujo crescimento não tem parado de aumentar. Em 1980 residiam em Portugal 21.022 cabo verdeanos, em 2000 eram cerca de 47.200 atingindo em 2003 os 69 mil imigrantes legalizados.
O total de imigrantes africanos, com a situação legalizada, ascendia em finais de 2002 a mais de 120 mil pessoas, na sua maior parte provenientes dos PALOP´s (116 mil).
O número de imigrantes ilegais é provavelmente o dobro, os quais vivem frequentemente em condições miseráveis, amontoando-se em bairros clandestinos à volta de Lisboa (Almada, Loures, Amadora, Sintra).

16 outubro 2005

:: Contacto :: 967579605 ::

A equipa do Braga Nacional vem aqui deixar o contacto telefónico através do qual nos podem contactar. É mais um meio de comunicação e esperamos que seja aproveitado por todos. À direita, por baixo dos links, etc... ficará a imagem com o número de telemóvel.

08 outubro 2005

Simon Wiesenthal e a Lenda do Sabão


Simon Wiesenthal, o recém-falecido e célebre caçador de Nazis, dedicou a maior parte da sua longa vida, a perseguir ex-colaboradores do regime Nacional-Socialista, contribuíndo para a condenação (segundo ele próprio), de mais de 1000 criminosos de guerra.
Assim que a 2ª Guerra Mundial termina, Wiesenthal inicia esta heróica tarefa, com uma série de artigos, escritos para um jornal Australiano, onde relata minuciosamente, o processo de transformar a gordura humana, originada pelos fornos crematórios em...

... sabão.

Passo a transcrever um excerto desses mesmos artigos:

Nas caixas, estavam escritas as iniciais “R.I.F.” (Gordura Judaica Pura). Estas caixas eram destinadas às Waffen-SS. O papel de embrulho revelava os objectivos cínicos, que o sabão foi produzido com corpos de judeus. O mundo civilizado pode não entender o divertimento com que os Nazis, suas mulheres e o regime, olhavam para este sabão. Em cada sabonete, eles viam um judeu que fora lá colocado, como que por magia, evitando que esse judeu crescesse e se tornasse num segundo Freud, Erlich ou Einstein

Hoje, qualquer investigador que se dedique à História da 2ª Grande Guerra, sabe que tal nunca aconteceu. A Professora de História Moderna Judáica, Deborah Lipstadt escreveu em 1981, uma carta ao Los Angeles Times dizendo que esta história não passava de um boato
Gostaria de lembrar aos leitores, que este rumor, foi referido por inúmeras vezes, no Julgamento de Nuremberga, onde como se sabe, foram condenadas pessoas por terem praticado crimes tão hediondos como esta "lenda do sabão"
Uma questão que não me larga a cabeça: "Alguém avisou Simon Wiesenthal que ele estava errado?"