28 março 2006

Como se levanta uma Nação em 5 anos!

É comum atribuir a implementação do conceito de “férias anuais pagas” à Frente Popular Socialista Francesa, no ano de 1936.
O que pouca gente sabe, é que no ano de 1933, Adolf Hitler no seu primeiro mês de governo, tinha já posto em prática, essa conquista social, que hoje todos os trabalhadores conhecem muito bem: O Subsídio de Férias.

Mas a reforma social não parou por aqui. Os trabalhadores mais jovens eram mais favorecidos, sendo-lhes atribuídos, 21 dias de férias. Aos mais velhos, foram dados 12 dias. Isto poderá parecer pouco, mas convém entender que estamos a falar de um regime com 73 anos de distância e além disso, era três vezes mais do que os socialistas franceses concediam ao seu povo.

Um ano depois, as melhorias sociais eram já perfeitamente visíveis. Todas as fábricas e lojas foram reformadas de modo a cumprir os mais elevados padrões de higiene e limpeza. As áreas interiores que costumavam ser muito deterioradas e imundas tinham agora iluminação natural e eram arejadas. Foram construídos milhares de campos desportivos. Todos os terrenos não aproveitados foram convertidos em parques, salas de convívio ou bares. Mais de 90% das instalações industriais tinham agora refeitórios e vestiários para os funcionários.

Três anos depois, as mudanças atingiram um nível nunca antes imaginado:
23,000 estabelecimentos modernizados e embelezados;
800 edifícios projectados exclusivamente para reuniões,;
1.200 campos desportivos;
13.000 instalações sanitárias com água corrente;
17.000 bares ou cantinas. 800 inspectores regionais;
18.000 inspectores locais a supervisionavam e auxiliavam nas instalações;

O acesso à saúde e educação eram agora gratuitos e garantidos a toda a população alemã. Em 1938, o povo alemão tinha simplesmente, o melhor nível de vida da Europa. A maioria das famílias morava numa casa própria, tinham um automóvel e frequentavam locais que anteriormente, só eram frequentados pelas classes mais altas,, como teatros, salas de cinema ou museus.Em apenas 5 anos, um país roído pela corrupção, desemprego e fome, passou da cauda da Europa, para uma das grandes potências mundiais.

Até quando, Portugal?

10 Comments:

Anonymous Anti-Fascista said...

Hitler levantou a Alemanha, é verdade. Mas a que preço? Quantos países foram invadidos? Quantas pessoas foram mortas em campos de concentração?

29 março, 2006 14:21  
Blogger Weisswurst said...

Mas a que preço?

Afastando definitivamente toda a corrupção que minava o país. E também pelo forte espírito de unidade nacional que Adolf Hitler conseguiu incutir ao povo alemão.

Quantos países foram invadidos?

Nenhum. A invasão da Polónia foi em 1939.

Quantas pessoas foram mortas em campos de concentração?

Nenhuma. As deportações iniciaram-se todas depois da guerra ter começado.

29 março, 2006 20:38  
Blogger SAM said...

Levantou a Alemanha o quê caralho?? Tirem lá a cabeça do cú por uma vez na vida:
Volkswagen Carocha ( o carro do povo, por apenas 5 marcos por semana ) carro esse que os Alemães NUNCA receberam, por causa da guerra!
As colónias de férias para os trabalhadores ( que NUNCA foram acabadas )
Os subsidios de ferias ( que nunca foram gozados ou pagos )

E olhem lá : Não há nada mais facil no Mundo que "levantar "uma nação com uma política economica que rouba os comercios, as fábricas, os bancos, os ordenados de uma etnia ( no caso os JUDEUS )
e que baseia o seu aparelho productivo numa indústria de produção de ARMAS !!! Sim aí foi o "segredo " da Alemnaha NAzi ROUBAR E FABRICAR ARMAS!

Lê umas coisas, aprende, estuda, cultiva-te!

31 março, 2006 10:53  
Blogger SAM said...

e mais uma coisa, levantou a Alemanha e deixou-a DESTRUÍDA POR COMPLETO!
SEM LUZ
SEM ÁGUA
SEM TRANSPORTES
SEM CASAS
SEM TRABALHO
SEM COMIDA
HAHAHAHAHAHAHAHA
GRANDA MILAGRE ECONOMICO ESSE DOS
NAZIS!

BOM FIM DE SEMANA

31 março, 2006 10:57  
Anonymous Anónimo said...

O Sam tu para um gajo que ainda à uns tempos andavas a pedir desculpas nos blogs, tenho te a dizer que te esticas para caralho...

ainda não entendeste que o que está aqui em discussão são as medidas tomadas ainda antes da guerra, ou es quadrado ao ponto de não te veres isso?!?!

Como é que te defines ideologicamente??

não deves ser comunista porque ai saberias que não tinhas razões de estares para aqui a falar da misséria do povo alemão e não só do pos guerra.

mas como deverás ser anarquista pelo pouco que sei. deveras tb saber que a história do teu movimento não está limpa de sangue e de atocidades cometidas a pessoas inocentes ou queres que te de umas aulas de história sobre o anarquismo em França e mesmo em Portugal.

mas tu deves ser daquiles anarquistas que são contra o sistema blablabla mas que depois paga impostos e reclama os seus direitos nesta sociedade, blablabla

31 março, 2006 13:23  
Blogger SAM said...

Sou Anarquista mas não sou parvo!
E como sou Anarquista esto-me cagando para o sangue que temos nas mãos ( já agora não se como foi aí parar....háááá já sei, a malta boa do Nestor Makhno deu uma grande tareia nos alemães na 1ª guerra Mundial expulsando-os da Ucrania ), vá lá, quero que tragas para aqui textos e documentos das atrocidades dos Anarquistas, que eu trago dos fascistas e dos nazis, vamos lá ver quem ganha esta!

eu pedi desculpa quando o meu comportamento foi lamentável... o que não faz de mim alguém assim muito mau pois não?? Sei reconhecer os meus erros!

31 março, 2006 14:07  
Blogger Weisswurst said...

O SAM é "anaquista" mas quando se vê apertado não hesita em reccorer aos TRIBUNAIS, à BRIGADA ANTI-BANDITISMO e ao guarda João.

É daqueles "anarquistas" cujo salário de operador de viagens lhe é creditado num CARTÃO MULTIBANCO, usa as autostradas, recebe o 13º mês, toma aspirina para a enxaqueca e adora ver tvcabo cujo sinal é transmitido por satélite, onde se delicia a ver a MTV.

Compreendo que os factos apresentados irritem a sua faceta de "anti-fascista" de trazer por casa. Lamento informa-lo, mas isto não é nenhum consultório de PSICANÁLISE.

E agora vamos a coisas sérias:


Adolf Hitler retirou de facto, a Alemanha da grave depressão em que se encontrava.


Os conceitos inovadores que o regime Nacional-Socialista implementou (carro do povo, lazer no trabalho, 13º mês, etc.) foram aplicados em menor escala, porque numa guerra, as prioridades devem mudar. O que importa reter, é que estamos a falar de conceitos inovadores e importantíssimos. A prova é que todos eles foram posteriormente copiados pelas nações vencedoras da guerra.


"Judeu", não é etnia.



Os factos aprensentados no texto, reportam-se ao periodo entre 1933 e 38. Como sabe, a guerra só começou em 1939.
Portanto, quem precisa aqui de "cultivo" é você, que além de mal educado, nem um texto consegue ler correctamente.

31 março, 2006 22:04  
Anonymous SãoTomé said...

Levantou a Alemanha o quê caralho??

e mais uma coisa, levantou a Alemanha e deixou-a DESTRUÍDA POR COMPLETO!

Em que ficamos? Levantou ou não levantou? És o rei da coerência, sam...

E já agora, vê lá se metes nessa cabeça pseudo-itelectualóide que a McDonalds (a dos hamburgueres) só existe à custa da McDouglas (a dos caças de combate)

01 abril, 2006 03:17  
Blogger Weisswurst said...

Uma das prioridades do regime Nacional-Socialista foi a construção de vias de comunicação para ligar as cidades alemãs. No entanto havia um problema, o asfalto para essas autoestradas, tinha que ser importado (e pago com dólares). É então que, graças a engenheiros como o Todt e Dorpmüller, se decide construir as primeiras autobahns (auto-estradas) com placas de betão, obtidas com matéria prima 100% nacional. Esta iniciativa deve ter posto as companhias petrolíferas à beira de um ataque de nervos!

___

Os primeiros navios-cruzeiros, cheios de trabalhadores alemães, como o "Wilhelm Gustloff", o "Robert Ley" ou "Cap Arkona" eram um pesadelo para paises como a Inglaterra e a França. Estes paises tentavam a todo o custo impedir que os navios-cruzeiro fossem vistos pela população, e manter afastada a hipótese do Nacional-Socialismo florescer nesses mesmos paises.
A ilha da Madeira e a cidade de Lisboa eram um dos destinos preferidos desses cruzeiros.

É claro que todas estas conquistas sociais não interessavam a quem detinha o monopólio económico no mundo. Afinal, se o Nacional-Socialismo se espalhasse pelas nações, seria o fim desse mesmo monopólio. (bem como da globalização que hoje herdamos)

No ano de 1938, a comunidade judaica internacional declara guerra à Alemanha. A imprensa dos Estados Unidos que pertencia a grandes famílias judaicas, apelou ao boicote dos produtos alemães. Vários cargueiros alemães explodiram "misteriosamente" ao entrar nos portos americanos.
Nesse mesmo ano, o líder do Partido Nacional-Socialista da Suiça (Wilhelm Gustloff) é assasinado, assim como o embaixador alemão em Paris (von Rath)

02 abril, 2006 00:34  
Anonymous Anónimo said...

Que bem que vai a anarquia em Portugal, SAM, que belo exemplo que és...santa paciencia.

03 abril, 2006 15:17  

Enviar um comentário

<< Home