19 abril 2007

Nas Masmorras do Sistema

Ontem, uma operação policial, levada a cabo pela Polícia Judiciária, efectuou buscas em cerca de 60 residências de vários cidadãos Portugueses, nas zonas de Lisboa, Porto e Braga.
Os contribuintes Portugueses acabaram de financiar uma gigantesca operação policial, para prender indivíduos, baseando-se num e apenas num critério de selecção: A sua orientação política.
Este sistema podre transformou as nossas forças policiais em cães fardados ao serviço da corrupção. Deu-lhes a cheirar uma bandeira nacional, e lá foram eles pela floresta lusitana, numa verdadeira caça às bruxas. E o contribuinte paga. Não o consultaram, no entanto paga. Tivessem-lo consultado, e quer-me parecer que o contribuinte, iria concerteza preferir que o dinheiro fosse usado para acabar com os bairros infestados de criminosos que detêm mais e melhores armas que as nossas polícias; os gangs que vendem droga à porta das escolas; a exploração dos trabalhadores por empresários sem escrúpulos; a corrupção e fuga ao fisco dos dirigentes de futebol; os pedófilos que, apesar das centenas de evidências, continuam impunes, etc... etc...
Mas não. Hoje é dia de perseguir nacionalistas. Afinal, foram eles que agrediram 1(um) africano há 12 anos atrás!
A três dias, da Conferência Nacionalista a decorrer em Lisboa (21.04.2007), esta vergonhosa "operação policial" tem como único objectivo, intimidar os participantes do evento, esperando que a afluência diminua, para depois poderem mostrar uma falsa imagem de estagnação do movimento nacionalista. Pela parte que me toca, tenho a dizer-lhes (aos donos da matilha), que lhes saíu o tiro pela culatra, pois se já tinha decidido não participar, acabo de mudar de ideias e estarei em Lisboa, no próximo Sábado. Vou deixar em casa o meu canivete suiço, a bandeira nacional e prometo não proferir pensamentos racistas. Se as coisas correrem bem, não serei preso e voltarei são e salvo para junto da minha família.
Disseram-me um dia, que o Salazar queria manter o povo na ignorância, para que este não pudesse (ou não soubesse como) conspirar contra o sistema. Ao que vejo, as coisas não mudaram. Há uma clara intenção de manter o povo ignorante. É preciso que o povo não se ponha com ideias nacionalistas, não vá o diabo tecê-las, e qualquer dia, esse mesmo povo ainda chega ao poder. Isso não! Não é nada bom para a "democracia".

A todos os que se encontram encarcerados nas masmorras do sistema, os meus votos de solidariedade e de esperança que, o vosso sofrimento, não terá sido em vão. Hoje, além de ter orgulho em ser Português, tenho também orgulho em ter-vos como camaradas!